A atriz ambiciosa Eve Harrington cria uma manobra para entrar na vida de Margo Channing, uma atriz veterana da Broadway, e seu círculo de amigos, envolvendo Karen Richards, Lloyd Richards e Bill Sampson. A primeira vista, a impressão de Eve é de uma atriz ingênua e apenas uma grande fã que quer ajudar Margo, porém as suas intenções se mostram claras com o decorrer da história, envolvendo a questão do ponto que uma pessoa pode chegar para ter a fama e o reconhecimento.

Margo Channing é interpretada pela fantástica Bette Davis, criando uma personagem que ainda acredita no seu potencial como atriz, mas em fase final de carreira pela idade. O seu ‘medo’ de Eve é claro, por poder ser trocada por uma atriz mais jovem, que tenta a todo custo sugar toda sua carreira e ter sucesso.

O elenco também conta com Marilyn Monroe, no início de sua carreira, fazendo papel de Miss Casswell, uma jovem atriz sem experiência que tenta se aproximar de homens importantes do show bussiness para conseguir papéis, mesmo que sejam pequenos.  A inexperiência de Monroe foi intimidada por Bette Davis, depois de demorar 11 takes para completar uma cena. Até sua contratação para o filme foi questionada, já que o produtor Darryl Zanuck acreditava que ela pertencia a filmes de comédia. Apesar do bom personagem que Marilyn interpretou, minha antipatia com ela cresceu mais um pouco, me levando a questionar sua idolatração.

Considero um ótimo filme e um ótimo meio de discussão sobre idade, caminhos da fama e a confiança. No mesmo ano foi lançado o filme “Sunset Boulevard” (Crepúsculo dos Deuses) que trata da mesma ideia e, particularmente, é meu preferido dentre os dois. Os papéis interpretados por Bette Davis e Gloria Swanson são muito parecidos e inquestionáveis quanto ao nível de atuação, mas acho que All About Eve possui um reconhecimento maior.

Advertisements